Natura compra marca britânica, quebra barreiras internacionais e busca expandir canais de venda

A venda confirma a inserção do mercado brasileiro de cosméticos no cenário internacional

Desde o começo deste ano havia burburinhos a respeito da compra da marca britânica de cosméticos The Body Shop pela Natura. A compra foi concluída no final de junho e a transação é estimada em 1,1 bilhão de euros. Com isso a brasileira passa a ter um faturamento de aproximadamente 11,5 bilhões de reais, 1,8 milhão de consultoras independentes e 3200 lojas espalhadas pelo mundo, segundo matéria publicada no site da revista EXAME.

Como se não bastasse todas as estatísticas anteriormente citadas, a compra significa algo muito maior para o mercado brasileiro de cosméticos: presença internacional em mais de 70 países. E essa estratégia não começou agora. Em 2012, a Natura adquiriu 65% das ações da marca australiana Aesop e ao final do ano passado concluiu a sua compra de 100%. Mais uma vez, o mercado brasileiro de cosméticos quebra barreiras. Além da qualidade crescente dos produtos, as marcas nacionais cada vez mais conquistam o seu espaço.


Lojas físicas

Além de mais de cinco lojas no Brasil, todas em São Paulo, a Natura também abriu uma loja física em Nova Iorque, EUA

Sem dúvidas o aspecto da expansão internacional é de suma importância, mas e se não for o único motivo para a compra? Vamos combinar que a maior relação que conseguimos fazer com a Natura são suas famosas revendedoras. E se eu te disser que elas já não são mais o seu único meio de comprar os produtos da marca? É isso mesmo, a marca brasileira de cosméticos inaugurou a sua primeira loja física em abril do ano passado e já são mais de cinco delas só em São Paulo.

Isso significa que além da conquista da presença em outros territórios do mundo a Natura tem um propósito ainda maior: a expansão de seus canais de venda. De acordo com o portal de notícias Petiscos, a empresa brasileira teve o insight de diversificar seus canais a partir da experiência de varejo que teve com a marca australiana Aesop.

O fato é que a jogada da marca brasileira de inocente não tem nada e certamente pode se dizer que é muito inteligente. Além de expandir o seu mercado internacionalmente e conquistar novos espaços de venda, a Natura buscou empresas muito semelhantes ao seu posicionamento natural e de bem com o meio ambiente, o que facilita as ações. O sucesso é praticamente certo, depende apenas do caminhar junto das três grandes empresas.

Bárbara Santucci

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *